terça-feira, 13 de março de 2012

UM PÊNIS CHAMADO CONFIANÇA

Um ser humano resolveu doar seus órgãos, depois de se considerar fadado de tanto viver. Achava que a vida já não lhe interessava mais e que com essa caridade faria muitos outros seres terem uma vida bem melhor.

Seu coração, o principal órgão do corpo, foi doado para quem realmente precisava. Suas córneas tiveram uma destinação proveitosa, sendo direcionadas para quem necessitava de uma visão melhor. Os rins fizeram alguém muito feliz com o transplante. A pele serviu para enxertos. Seus cabelos se tornaram uma peruca. Enfim, tudo que pudesse ser aproveitado foi motivo de alegria para muita gente.

Apenas um órgão teve uma destinação especial: o seu pênis. Ele foi indicado para um amigo seu, cujo membro fora decepado pela esposa que o flagrou em adultério em sua casa, em cima da sua própria cama de casal.

Quando soube do ocorrido, o doador havia lhe dito que tivesse confiança que um dia ele voltaria a ser normal, fazendo um implante. Foi o que realmente aconteceu. E esse amigo, satisfeito com o implante, resolveu dar o nome ao pênis recebido de "Confiança". Sua vida voltou ao normal e a esposa, arrependida, passou a se relacionar novamente com o marido.

"Confiança" estava sempre de pé, topava qualquer parada e não era mole não. Entrava em qualquer bocada pulando cerca, sem que a sua nova "dona" desconfiasse.

E a vida mudou muito para esse amigo que recebeu o pênis "Confiança" como doação. Resta agora tomar cuidado para que não seja decepado como o seu antecessor.

Para aqueles que estão lendo este conto, deposito toda a minha confiança em vocês (no bom sentido), esperando que leiam outros contos que virão.

Um comentário:

  1. Muito interessante esse conto, Moacir. Estou dispensando sua confiança, viu. kkkkk. Um abraço!

    ResponderExcluir