sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

CORPO DESPIDO VISTO PELA FRESTA

                 pela fresta da parede eu vi seu corpo
                 ela se preocupava com sua aparência
            diante do espelho demonstrava inocência
                        se achava a mais bela do mundo
                           nem por isso almejava riqueza
             a pobreza no barraco era sua companhia
               não tinha ninguém, assim mesmo sorria
                     estava sempre de bem com a vida
            na rua o vestido surrado tirava seu brilho
                  era simples, não gostava de se exibir
                   qualquer roupa servia para lhe vestir
           só dentro de casa detestava a vestimenta
                              e eu descobri isso por acaso
                 esse detalhe chamou a minha atenção
            olhando pela fresta palpitava meu coração
               aquele corpo me seduzia, me encantava
            já estava me acostumando a vê-lo despido
                          imaginava encostando-o ao meu
                 mas na realidade isso nunca aconteceu
                até que ela sumiu, não sei para onde foi

Um comentário:

  1. Muito bom sua poesia. Por um momento me vi olhando por aquela fresta.

    ResponderExcluir