segunda-feira, 21 de novembro de 2011

CORPO CANSADO


Amanheceu
Acordei ainda com sono, ainda cansado
Nesse momento a claridade do quarto me irritava

Queria dormir, mas a rua já me chamava
Tentei levantar, minha mente estava ativa
De tão cansado já o corpo não obedecia
Deixei assim para ver o que acontecia

Escureceu
O dia foi embora e nem me dei conta
Meu corpo cansado viu a noite chegar
Dormi profundamente chegando a sonhar
Sonhava com os prazeres da vida na rua
Coisas que em qualquer corpo dar canseira
Vivo a vida, o resto é tudo besteira

2 comentários:

  1. Nossa. Cheguei a ficar cansado, imaginando uma boa cama. Lindo poema, Moacir.

    ResponderExcluir